terça-feira, 27 de outubro de 2009

Aulas de Literatura com o livro" Lendas de Exu" em Escola Pública



Professora umbandista diz que foi proibida de dar aulas em unidade de Macaé-RJ, dirigida por diretora evangélica

As aulas de Literatura Brasileira sobre o livro ‘Lendas de Exu’, de Adilson Martins, se transformaram em batalha religiosa, travada dentro de uma escola pública. 
A professora Maria Cristina Marques, 48 anos, conta que foi proibida de dar aulas após usar a obra, recomendada pelo Ministério da Educação (MEC). Ela entrou com notícia-crime no Ministério Público, por se sentir vítima de intolerância religiosa. Maria é umbandista e a diretora da escola, evangélica.
"Fui proibida até por mães de alunos, que são evangélicas, de dar aula sobre a África. Algumas disseram que estava usando a religião para fazer magia negra e comercializar os órgãos das crianças. Me acusaram de fazer apologia do diabo!”, contou Maria Cristina.
Sacerdotisa de Umbanda, a professora se disse vítima de perseguição: “Há sete anos trabalho na escola e nunca passei por tanta humilhação. Até um provérbio bíblico foi colocado na sala de professores, me acusando de mentirosa”.
Negro, pós-graduado em ensino da História e Cultura Africana e Afro-Brasileira, o diretor-adjunto Sebastião Carlos Menezes aguardará a conclusão da procuradoria para opinar. “Só posso lhe adiantar que a verdade vai prevalecer”, comentou. Pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil, Sebastião contou que a diretora Mery Lice da Silva Oliveira é evangélica da Igreja Batista.

ATÉ CINCO ANOS DE PRISÃO

“Se houver preconceito de religião, acredito que deva ser aplicado todo o rigor da lei”, afirmou o coordenador de Direitos Humanos do Ministério Público (MP), Marcos Kac. O crime de intolerância religiosa prevê reclusão de até 5 anos. Em caso de injúria, a pena varia de 3 meses a 2 anos de prisão. O MP poderá entrar com ação pública penal se comprovar a intolerância religiosa. “Caso contrário envia à delegacia para inquérito”, explicou Kac.
Em 180 páginas, o livro ‘Lendas de Exu’, da Editora Pallas, traz informações sobre uma das principais divindades da cultura afro-brasileira. O autor da obra, Adilson Martins, remete ao folclórico Saci Pererê para explicar as traquinagens e armações de Exu. Um exemplar custa aproximadamente R$37,00.

Na introdução, Martins diz que ele é “um herói como tantos outros que você conhece”. Em Macaé, 35 alunos do 7º ano do Ensino Fundamental leram o livro.
O presidente da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa, Ivanir dos Santos, garantiu que outros autores de livros, como Jorge Amado e Machado de Assis, sofrem discriminação nas escolas: “As ideias neopentecostais vêm crescendo muito, desrespeitando a lei”.
Por Ricardo Albuquerque, Rio De Janeiro.
http://odia.terra.com.br/portal/rio/html/2009/10/livro_sobre_exu_causa_guerra_santa_em_escola_municipal_42866.html

5 comentários:

®enata disse...

Oi Célia!

Quanto tempo né! Como vai você?
Espero que esteje bem e esteja também recebendo as bençãos do Altíssimo!

Passei pra dizer que estou com saudades de ti!
E também para conferir as novidades do blog...Está reformulado né...Uma benção! E as notícias sempre muito boas!

Minha oração é para que Deus te encha a cada dia mais das bençãos Dele.
Grande beijo!
Paz do Senhor Jesus seja sempre contigo!
:D

Georges disse...

Dureza, hein, Célia... e pensar que proíbem professores evangélicos de falar sobre a criação, em contraponto à teoria da evolução. É como diz um amigo meu, você pode falar o que quiser, as maiores asneiras, os maiores absurdos, as maiores heresias, em qualquer lugar, com qualquer pessoa. Mas experimente falar de Jesus... num instantinho a roda se espalha. Agora, Exu pode. Me pergunto: isso também não é desrespeito à fé das crianças evangélicas? Maranata! Volta logo, Jesus!

Georges disse...

Outra coisa... visual novo! Ficou bacana! Logo agora que eu acostumei com o antigo. Mas é isso aí, estou tentando fazer um novo para o meu também, estou apanhando adoidado...

Celia Pessôa disse...

Li o livro "Lendas de Exu",a maior parte do livro fala sobre os sacrifícios de animais que devem ser feitos para agradá-lo:matança de galinhas, bodes e etc.Fala também de outros orixás como Iemanjá, que é comparada a todas as mulheres por ser falsa, oportunista e trair o marido.Na contracapa é dito que Exu,é protetor dos bandidos,mestre das traquinagens. Quantos "ensinamentos" para os alunos!Em suma o livro é de cunho religioso sim,e é duvidoso que a professora,que é sacerdotisa de Umbanda não tenha tentado induzir os alunos para a sua religião.

Anônimo disse...

O livro também fala que ele é arruaceiro, deus dos desvalidos, além de protetor de ladrões.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Motivo de oração